20 de abr de 2011

AVISO AOS NAVEGANTES...

Imagem tirada daqui: ERM Creative

... Não, eu nunca fui à China. Tão pouco pra Conchichina! Nem estive vez alguma lá pras bandas do Oriente. Sempre quis, mas nunca fui. Não, também não sei falar lhufas de Mandarim. E não convivo no dia-a-dia, com pessoas que falam. Resumindo: não sou expert no assunto. Então, para que não haja dúvidas e para que não criemos nenhuma expectativa errônea quanto ao conteúdo deste blog, fica aqui este meu honesto manifesto. Tudo que está sendo 'compartilhado' neste blog vem de fontes secundárias: livros, guias, sites oficiais da China e blogs de viajantes. É tudo resultado da pesquisa que sempre faço para qualquer lugar que eu vá viajar. Estou aqui simplesmente dividindo isso com vcs. Tá curioso, como eu, pra saber mais?? Então, seja bem-vindo... sinta-se em casa...  entre e puxe uma cadeira... Que já, já sai um chá!
Bom... isso tudo dito, vamos ao post da semana...

16 de mar de 2011

TEMPLO SHAOLIN E CAVERNAS LONGMEN

Depois do seminário em Chenjiagou nosso grupo se divide... uma parte volta para casa e outros continuam na estrada.

Quem continuar seguirá agora em direção a Huashan, onde nos hospedaremos, para próximo dalí, em Luoguantai participarmos do curso de Meditação Taoista com o Mestre Jan Silberstorff,  no mais importante mosteiro do Taoísmo, onde Lao Tsé escreveu o Tao Te King.

Mas até chegarmos à estação de trem em Zhengzou, no caminho aproveitaremos para visitar ao Templo Shaolin e às Cavernas Longmen, tudo nas redondezas de Luoyang e Dengfeng.

Foto © Easytourchina
O Templo Shaolin foi fundado no século V por Bodhidarma [também conhecido como Batuo], um monje indiano que se refugiou por lá no ano de 527. Bodhidarma, então, desenvolveu um sistema de exercícios que evoluiu para o que hoje chamaríamos de Shaolin Quan, ou Shaolin Kung Fu, o que é considerado por muitos a origen das artes marciais chinesas. Lá assitiremos a uma demonstração deste tradicional Kung Fu.

O Templo Shaolin e sua famosa Floresta de Pagodas foram incluídos na lista de Patrimônios Mundiais da UNESCO, como parte dos "Históricos Monumentos de Dengfeng".

Foto © Easytourchina
As Grutas ou Cavernas Longmen são a maior e mais impressionante amostra de arte das Dinastias Wei e Tang (316-907). Estas obras, totalmente dedicadas ao budismo, representam o ponto alto da arte chinesa de escultura em pedra.

Foto © Easytourchina
A faces das enconstas onde se encontram as Cavernas Longmen ladeiam as duas margens do Rio Yishui, em um trecho de aproximadamente 1 km, que combina importância estratégica e grande beleza natural. Estas encostas, compostas basicamente de calcário, foram facilmente esculpidas para produzir as Cavernas Longmen.

No total, são 2.345 grutas dos dois lados do rio. Elas abrigam mais de 100 mil estátuas budistas, cerca de 2.500 estelas e inscrições, e mais de 60 pagodas budistas.

Juntamente com as Grutas de Mogao e as Grutas Yungang, as Cavernas Longmen são um dos três mais famosos sítios esculturais da China antiga, e estão na lista de Patrimônios Mundiais da UNESCO.

Passeio imperdível e de deixar qualquer um mudo, em contemplação.

FONTES:
Eye Witness Travel Guide - China [DK, 2010]
.

15 de mar de 2011

CHENJIAGOU - BEBENDO NA FONTE

É chegada a hora de irmos "beber" o Taijiquan na fonte!

Finalmente deixaremos Beijing, agora em direção a Chenjiagou, a vila que há mais de 6 séculos foi berço do Taiji.

Portal de Chenjiagou - Foto :: Urs Krebs MySpace
A cidade de Chenjiagou nasceu no século XIV. Até hoje continua com jeitinho de 'vilarejo', e o progresso parece ter passado por ela, ao largo. Foi fundada por Chen Bo, que é considerado como o representante da primeira geração da Família Chen. Ele veio da província de Shanxi, tendo passado por Hongtong, cidade renomada pela qualidade das artes marciais praticadas por seus moradores.

Chegando à província de Henan com seu clã, acabou fundando a comunidade que, na época, recebeu o nome de Chen Bo Zhuang: "A Comunidade de Chen Bo". Dois anos depois, eles se mudaram para perto da área que hoje é realmente Chenjiagou, ou o "Fosso da Família Chen", onde a agricultura era mais promissora.

Esta área, durante a guerra civil, era assolada por bandidos. Mas Chen Bo deu fim a seu reinado e assim, tanto Chen Bo, como as habilidades marciais da Família Chen - cultivadas apenas no seio do clã -, foram ganhando fama pelo condado de Wen.

Foto ::  Hyde Park Taijiquan
De lá pra cá o Taiji começa a surgir e evolui na história, principalmente depois de Chen Wangting, de geração em geração por Chen Changxing, Chen Fake, passando pela 19ª geração, representada principalmente por Chen Xiaowang, e já na 20ª geração com Chen Yingjun.


No decorrer de todos estes anos, nasceram do Taiji da família Chen vários estilos derivados, como o estilo Yang [com Yang Luchan], o estilo Wu [com Wu Yuxiang e Wu Jianquan] e o estilo Sun [com Sun Lutang].

Chenjiagou não é o único berço das artes marciais Chinesas, mas é um dos mais representativos até os dias de hoje! E é lá, que receberemos os ensinamentos do estilo Chen de Taijiquan diretamente das mãos do Grão-Mestre Chen Xiaowang.

Chenjiagou Taiji School
Em Chenjiagou treinaremos na escola da família Chen. Localizada no coração da vila, a escola foi construída em 1982. Foi a primeira escola formal de Taiji da China. É também a mais renomada e reconhecida. A entidade é dirigida pelo Grão-Mestre Chen Xiaowang e seu irmão, o Mestre Chen Xiaoxing, tendo como coordenador seu filho, Chen ZiQiang. 

Rua Principal de Chenajiagou - Foto :: Urs Krebs MySpace
E não é de se admirar que 95% da população de Chenjiagou viva e respire Taijiquan, com uma escola ao redor da qual orbita toda a comunidade. A maioria das crianças aprende Taiji em casa, e aquelas que não aprendem assim, irão com certeza aprender na escola, pois Chenjiagou é o único lugar do mundo em que o ensino da forma Lao Jia Yi Lu ["Forma Antiga" ou "Primeira Forma"] faz parte do currículo padrão do ensino fundamental.

Chenjiagou Taiji School - Dormitórios
Uma vez que ficaremos hospedados no alojamento da escola, será uma imersão mesmo! 24h de Taijiquan todos os dias! Dias estes que costumam começar cedo... e ir com atividades até por volta das 20h. Vai ser puxado, mas ainda assim não vejo a hora!

Quer emoção maior do que "beber" Taiji direto de uma fonte que jorra há mais de 500 anos?

"Chen: Living Taijiquan in the Classical Style"

By Jan Silbertorff
.

8 de mar de 2011

DICA DA HORA – FOTOGRAFE!

"Que pode a câmara fotográfica? 
Não pode nada. Conta só o que viu. 
Não pode mudar o que viu, 
não tem responsabilidade no que viu. 
A câmara, entretanto, ajuda a ver e a rever, 
a multi-ver o real nu, cru, triste, sujo. 
Desvenda, espalha, universaliza 
a imagem que ela captou e distribui. 
Obriga a sentir, a - criticamente - julgar, 
a querer bem ou a protestar, a desejar mudança." 
Carlos Drummond de Andrade

Foto ::  Sergey Kravtsov
Nenhuma viagem deve passar sem ser registrada! PONTO! Uma viagem com essa à CHINA muito menos! Afinal, foram mais de 15 meses de planejamento e preparação, sem falar do quão único, em muitos aspecto,s é o país para onde vamos. Temos que documentar tudo... fotografar tudo!

Eu, enquanto amante da fotografia, já estou delirando antecipadamente só de imaginar as fotos que poderei fazer. E me espanto ao comentar o assunto com os colegas de viagem e ouvir deles que isso é muito fácil, uma vez que a fotografia para mim é um hobby sério e uso equipamentos com um pouco mais de recursos. Mas já adianto... isso é um ledo engano!!

Algum fotógrafo famoso [acho que foi o Hansel Adams, não tenho certeza] já dizia que o que faz a foto é o olhar, e não o equipamento. Portanto, qualquer um, com uma máquina razoável, poderá fazer belas fotos durante nossa viagem, basta conhecer seu equipamento e abrir sua mente e seu 'olhar'!

Lendo o blog do foto-viajante Arnaldo Inerata [Fatos & Fotos de Viagem] achei comentários bem legais sobre o assunto e compilo trechos aqui, na esperança de que o que ele diz possa te animar a documentar ricamente sua aventura... portanto, qualquer que seja sua câmera, trate de colocá-la já na mala e bons clics!


“Viagens sempre estiveram no pensamento, no desejo e nas atitudes do homem. [...] Uma viagem pela viagem, sem registros - escritos e fotográficos - pouco vale e não leva a nenhum lugar. Nada se iguala - em dimensão e importância às viagens registradas e divulgadas.[...] Fotografar viagens pode ser tão simples ou complicado quanto maior ou menor forem o domínio e o conhecimento de nossas câmeras e das técnicas fotográficas. [... ] Para uma boa fotografia a arte conta tanto quanto a técnica e a habilidade. Mas não deixe que isso o intimide, muito menos o desanime. Afirmações como 'Eu não tenho arte, não serei um bom fotógrafo', só valem para quem deseja ser profissional. Para fazer boas fotos, basta evitar o lugar comum; é preciso não olhar com neutralidade. Só assim suas foto terão a sua personalidade. 

O primeiro inimigo da arte em fotografia é o desconhecimento. O segundo, o desejo de fazer fotos rapidamente, registrar sem cuidado, falta de perseverança e de preocupação antecipada com o resultado. [...] É necessário aprender a usar seu equipamento, seja ele uma câmera compacta ou uma reflex semi-profisisonal.

Qualquer amador principiante pode fazer fotos com qualidade bastante superior às que tem feito, independentemente de seu talento e até mesmo o de possuir aquele raro 'olhar fotográfico', tão diferenciado, que alguns fotógrafos parecem ter. [...] 


O mais importante a ter em conta ao fotografar, é:
1) Não dispare como um louco e sem pensar, só porque é uma câmera digital. Pense antes, para não se arrepender depois de fotografar;
2) Tenha paciência. Esperar pelo melhor momento e procurar o melhor lugar sempre resultará fotos melhores do que disparos intempestivos;
3) Não dispare sempre do mesmo lugar, faça as mesmas fotos de outros ângulos e com novos enquadramentos. Use o zoom e regule sua câmera de maneiras diferentes para uma mesma cena;

4) Conheça seu equipamento, leia o manual; [esta dica é minha!]
5) Use ISO e White balance corretos; 
6 ) Não use uma reflex (SRL) no automático, como se fosse uma compacta (o que equivale a ter um Boeing e usá-lo como um teco-teco);

7) Não tenha medo da câmera;
7) Deixe de usar o flash ou evite usá-lo excessivamente; e last, but not least,
9) EVITE usar o modo automático!"

FONTES:

3 de mar de 2011

DEIXANDO BEIJING - A GRANDE MURALHA

A Grande Muralha será a última atração que visitaremos antes de deixar Beijing definitivamente, rumo a Chenjiagou.

Foto :: Wikipedia

Considerada uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo, a Muralha é um point que não poderia faltar em nossa viagem. Ela começou a ser construída durante a China Imperial, por volta de 220 a.C. por determinação do imperador, Qin Shihuang. Sua construção levou séculos, com períodos de paralisação entre dinastias. Por volta do século XV, foi quando adquiriu suas atuais feições com extensão total de aproximadamente de 7.000 km, indo de Shanghai [leste], a Jiayu [oeste], passando pelas províncias de Hebei, Shanxi, Shaanxi, Gansu e pelas regiões autônomas da Mongólia e Ningxia.


Mapa :: China Highlights

Por volta do século XVI perdeu a sua função estratégica, vindo a ser totalmente abandonada. Na década de 80 o governo da China Socialista resolveu restaurá-la, mas a falta de critério e as críticas ferrenhas à forma como a coisa foi feita, não permitiram a conclusão da restauração em toda sua extensão.

Ao contrário do que muitos pensam ela não é uma estrutura única, e foi construída com características e utilizando materiais diferentes em cada um dos seus trechos. Aliás, calcula-se que todo o material utilizado em sua construção, daria para construir um muro de dois metros de altura em torno de toda a Linha do Equador.

FONTES:
.

25 de fev de 2011

AINDA EM BEIJING - ÓPERA DE PEQUIM

Foto : Saad Akhtar de Nova Delhi, India
Faz parte de nossa programação cultural em Beijing, irmos assistir a um espetáculo da Ópera de Pequim.

Programa imperdível, a Ópera de Pequim é uma forma de teatro chinês tradicional que combina música, performance vocal, mímica, dança e acrobacia. E assim como o carnaval é para o Brasil, a Ópera chinesa é também uma instituição cultural deste país, tão relevante quanto as arte marciais. A arte surgiu no final do sec. XVIII e ganhou popularidade com as atuações na corte da Dinastia Qing.

Apesar do nome, as principais companhias estão sediadas não só em Beijing, mas também em Tianjin [norte], em Shanghai [sul] e também em Taiwan. As óperas mais antigas são representadas em mandarim arcaico, mas alguns teatros disponibilizam telões com legendas em inglês. Os figurinos são exuberantes e sofisticados, e juntamente com a maquiagem elaboradíssima, serve para diferenciar a i tipo e a classe social do personagem. As cores usadas neles também têm significado específico: O preto, simboliza o atrevimento; o branco, a mentira; e dourados e prateados são utilizados entidades divinas.

O espectáculo apresenta geralmente quatro personagens principais: sheng (masculino), dan (rapariga nova), jing (cara pintada, masculino) e chou (palhaço, masculino ou feminino). As personagens podem ser desde traiçoeiras ou leais, belas ou feias, boas ou más. e suas características são bastante evidentes.

FONTES:

3 de fev de 2011

DICA DA HORA - FALANDO CHINÊS

Nossa viagem está chegando e algumas pessoas estão finalizando seus detalhes de viagem agora. É passaporte, visto, vacinas, malas e etc... Para cada coisa que é riscada da lista, outra aparece logo a seguir! É verdade ou não é?!? Eu sei, exatamente porque estou passando por isso.

E agora, tendo dado cabo de quase tudo isso listado aí acima, me pego pensando em como vai ser a sensação de chegar num lugar e não entender NADA do que é dito pelos locais. E no caso do Mandarim, é NADA mesmo!! Nem uma palavrinha! Tá certo que, em praticamente 99% de nosso percurso, e também passaremos por lugares em que o inglês até que pode ser falado... mas ainda assim isso me assusta!

Me assusta pois detesto ter que me sentir 'refém' de algo ou de alguém em uma viagem, pro que quer que seja. Gosto de dar minhas fugidas exploratórias sempre que tenho chance. E para isso a barreira linguística pode ser um problema.

Muitos colegas estão até fazendo cursos de Mandarim. Mas eu não consegui... Será que vou ter problemas? Bom, paciência...Vamos literalmente ter que pagar para ver...

Me resta agora, nesses próximos quarenta dias, me agarrar com as aulinhas que tivemos nas reuniões e tbm com meus livrinhos e tentar decorar o máximo possível de frases-chave.

Lendo o blog do Arnaldo Interata [Fatos & Fotos de Viagem], me deparei com umas diquinhas legais para esta situação, que me ajudaram a ficar menos neura com isso tudo. Então, divido elas aqui com vcs de forma resumida... Simbora?

1. MENOS É MAIS - mesmo que vc já tenha começado a estudar a língua já a algum tempinho, dificilmente vcs acertará de cheio na entonação, no vocabulário e quem dirá nas construções de frases mais complexas... portanto deixe o orgulho de lado use frases curtas, objetivas e até mesmo macarrobóticas [macarrônicas+robóticas]. O risco de errar usando menos palavras é bem menor. Isso complica menos a sua vida e te ajuda a caprichar mais na pronuncia e entonação, ponto essencial no Mandarim.

2. NÃO SEJA PERFECCIONISTA - esqueça a gramática. Sim! Vc ouviu certo! Se vc não a aprendeu até agora, não será nestes últimos dias que vc aprenderá muito mais. Se jogue e arrisque nas expressões mais básicas e até mesmo 'soltas'! Interaja mesmo assim. Além do mais a viagem é diversão e mico vai ser vc não abrir a boca para tentar se expressar, de jeito nenhum!

3. ALGO É MELHOR QUE NADA - decore aquelas frases básicas. Principalmente aquelas que denotam educação ['olá', 'por favor', 'obrigada', 'com licença', 'bom dia', 'até logo', etc]. Porque, mesmo que depois vc apele pro inglês, pro 'chinglish' ou até mesmo para a mímica, a tentativa de usar o idioma local com educação é uma chave mágica para abrir portas e deixar as pessoas mais receptivas e até mesmos dispostas a ter um cadinho de paciência com vc.

4. TIRE O PÉ DO ACELERADOR - se vc não é fluente agora, não vai ser lá, na viagem que vc vai adquirir esta fluência. Pense na frase que quer dizer, memorize, e só então diga ela pausadamente. O bom é que corre um grande risco da resposta vir devagarinho tbm! E se não vier, já tenha na cabeça expressões do tipo: 'repita, por favor' ou 'fale devagar, por favor'!

5. PRATIQUE! PRATIQUE! PRATIQUE! - assim como o TaiChi, o aprendizado de uma língua vem da prática. Pratique em casa e repita para vc mesmo, para o espelho, ou para os colegas de viagem. Anote num caderninho que vc vá levar, aquelas frases que vc não conseguiu decorar. Esta recomendação vale para números, visse? Uma boa dica é aprender pela internet como os chineses indicam os números com as mãos. É um tanto quanto diferente de como fazemos. Para isso use dicionários, guias de viagens, guias de conversação e até mesmo a internet, o FacebookYouTube.

Tudo vale! Só não vale ficar de boca fechada! Dizem que quem tem boca vai à ROMA. Mas será que vai também á CHINA? Conto pra vcs depois!
.

25 de jan de 2011

DICA DA HORA - TOMADAS!

Foto :: Fatos e Fotos de Viagem
Como já dizia RICARDO FREIRE [Viaje na Viagem] sobre tomadas mundo afora... "A eletricidade é uma só em qualquer lugar do mundo – vá lá, em alguns lugares é 110, em outros, 220. Mas a criatividade do ser humano é infinita, então cada país com representação diplomática na ONU se acha no direito de inventar sua própria tomada, pessoal e intransferível. Não existe lógica nenhuma na adoção da tomada xis ou da tomada ípsilon"...

Pois é... e olha que o Ricardo é um colecionador ferrenho de adaptadores elétricos, até porque ele é um eletro-dependente! Mas ainda assim já passou [e passa] por apertos.

Na China não será diferente... e se vc, assim como o Ricardo, não vive sem seu barbeador elétrico, seu secador de cabelos, sua chapinha, seu celular, sua máquina fotográfica, ou o que mais precise de uma plugada ocasional, precisará ficar ligado também nos tipos de tomadas adotadas por lá.

A voltagem na China é de 220V-50Hz. Quanto ao padrão de tomadas, a mais comum é a Tipo A, com 2 pinos chatos [muito conhecida no Brasil], mas comos vamos rodar por cidades menores poderemos nos deparar também com outros 2 tipos: Tipo G e Tipo I.

Então, se vc não quer sofrer um pequeno 'apagão' pessoal, vale a pena providenciar os respectivos adaptadores.

Fica a dica!
.

12 de jan de 2011

AINDA EM BEIJING - PALÁCIO DE VERÃO

Foto - Beijing Intl.
Outro ponto turístico imperdível que visitaremos em Beijing [Pequim] é o Palácio de Verão [em pinyin: YiHe Yuán], ou popularmente mais conhecido como o "Jardim dos Jardins" [em pinyin: Wàn Yuán Zhī Yuan].

O Palácio de Verão é um complexo de palácios e jardins localizado a 8km das muralhas de Beijing. Este palácio foi construído no final do século XVIII e início do século XIX. De lá pra cá foi destruído e saqueado várias vezes. Em 1886 a Imperatriz Cixi tocou uma destas reconstruções, com fundos desviados da Marinha Imperial e outras fontes, para que o palácio servisse como sua estância de veraneio particular. Daí o nome, Palácio de Verão.

Mapa - Kinabaloo
O Palácio de Verão dominado principalmente pela Colina da Longevidade e o Lago Kunming, cobre uma área de aproximadamente 3km2, apresentando um conjunto de palácios, jardins e antigas estruturas arquitetônicas.

Alguns points imperdíveis do Palácio de Verão:

1. Hall da Felicidade e Longevidade: Esta impressionante construção foi a residência da Imperadora Cixi. Ele encontra-se exatamente como foi deixado por ela, após sua morte em 1908, com coleções completas de peças e mobiliários da Dinastia Qing.

2. Jardim da Virtude e da Harmonia: Este complexo com corredores cobertos, pequenos pavilhões, lagos e jardins de pedras, inclui também o teatro particular de Cixi. Os prédios agora acomodam artefatos da Dinastia Qing [de veículos a trajes e porcelanas].

Foto - Beijing Intl.
3. O Longo Corredor: Este corredor zig-zagueia pelo Jardim da Virtude e da Harmonia, margeando o Lago Kunming, interrompido em sua extensão apenas por 4 pavilhões representando as estações do ano. O teto e as colunas são decorados com mais de 14.000 cenas, delicadamente pintadas à mão.

4. Pagode do Incenso Budista: No alto da Colina da Longevidade está este pagode Octogonal, de onde se tem uma das melhores vistas do Lago Kunming e seus arredores.

Foto - Viajar Pelo Mundo
5. O Barco de Mármore: Cixi pagou por esta estravagante construção com fundos destinados à modernização da Frota Naval Imperial, para ser sua casa de chá particular. A construção tem sua base de mármore [antes destinada à construção de mais um templo], e é todo feito de madeira, com acabamento que imita a pedra.

6. A Ponte dos 17 Arcos: esta elegante ponte de mármore conecta uma das ilhas do Lago Kunming à margem.

Vários barcos a vapor cruzam o Lago Kunming e te levam a diversos pontos e as ilhas do complexo, mas vale a pena fazer o passeio pelas margens, à pé. A caminhada te levará por jardins e pontes belíssimos.
.
FONTES:
.

4 de jan de 2011

DICA DA HORA - MAPAS DOS METRÔS

Quer já ir se ambientando com o metrô de Beijing
Ou até mesmo já com o de Shanghai?

Então a dica é o site SUBWAY MAPS com mapas de metrô 
do mundo inteiro, inclusive destas cidades!!!

Clique aí na imagem, e divirta-se!

.