27 de set de 2010

AINDA EM BEIJING - INDO ÀS COMPRAS 1

Muito se fala do comprar na China... principalmente em Beijing. O que nos faz até ter um cadinho de dó de 'chegar' na China por lá, e não 'partir' de lá.

E sim, este post tem mais de uma PARTE! Não tem como não ser assim! Mesmo sabendo que teremos somente um ou dois dias livres na cidade. Mas daí vc escolhe a dica que quer seguir!

Bom... Apesar de sempre associarmos a China com a produção em massa de produtos e quinquilharias  mil, algo bem legal de se buscar ao fazer compras nas capitais é exatamente a grande variedade de produtos singulares e tradicionais.

Segue aqui algumas dicas de points tradicionais, que garimpei... Divirtam-se!

Liulichan [que quer dizer 'fábrica de azulejos esmaltados'] percorre 800m, de uma rua que segue o sentido sul-norte, entre a Rua Liuxiang (oeste) e a Rua Yanshousi (leste). Tem este nome pois na dinastia Yuan e Ming o bairro cresceu e girava em torno de uma fábrica de azulejos esmaltados, produzidos especialmente para atender ao palácio imperial. Já na época da dinastia Qing era um lugar muito conhecido por vender antiguidades. Hoje é considerado o centro histórico e intelectual da cultura Chinesa em Beijing, incluindo lojas tradicionais que abastecem calígrafos e pintores locais com o que há de melhor em termos de tinta, pincéis, selos, tinteiros e papéis (consideradas as 'quatro jóias do intelectual'). Lá encontraremos:

Loja de Pintura Qingmige - aqui os produtos mais vendidos são as 'quatro jóias do intelectual'. Mas na Qingmige vc também encontra antiguidades, jóias, caixas e esculturas em jade e em madeira, bem como peças bordadas em seda. Fica na Rua Liulichan West, 52.

Livraria Wenkuitanf - na verdade é um sebo que comercializa livros usados desde 1881, mas que hoje também vende as 'quatro jóias do intelectual'. Fica na Rua Liulichan Xijie, 34.

Loja de Pintura Rongbao Zhai - a loja existe desde a dinastia Qing e além de fornecer as 'quatro jóias do intelectual' é famosa pelas impressões com bloco de madeira usando a técnica de aquarela. Rua Fica n Liulichan West, 19.

Loja de Selos Cuiwenge - foi fundada em 1930 e é especializada na fabricação de selos. A Cuiwenge é também famosa por pesquisar novos materiais para as 'quatro jóias do intelectual'. Uma de suas invenções é o "Ba Bao InkPad", feito de pó de prata, com pó de pérolas. As pinturas e caligrafias feitas neste inkpad tem suas cores mais saturadas e desbotam menos. Fica na Rua Liulichan West, 58-60.

Loja de Pincéis Li Fushou - fundada no final da dinastia Qing, é a loja da maior fábrica de pincéis de toda a China. Fica na Rua Liulichan West, 99.

A Luilichan tem acesso via metrô: basta pegar a Linha 2 e descer na estação Hepingmen.

Wangfujing é considerada hoje o coração comercial da cidade de Beijing. Seus 810m de extensão acomodam mais de 200 lojas. A nova configuração da rua permite que os pedestres passeiem com liberdade, uma vez que os carros não transitam por ali. Apesar de ter sido renovada, a rua Wangfujing mantém sua atmosfera cultural tradicional, misturando estilos de lojas modernas e tradicionais. O antigo poço, origem da lenda que deu nome a rua, foi restaurado e é point a ser visitado. Um loja de departamentos monstruosa encontra-se nesta rua, bem como outras lojas tradicionais

A Wangfujing fica no Distrito Dongcheng e tem acesso via metrô: basta pegar a Linha 1 e descer na estação Wangfujing. O horário de funcionamento das lojas é das 6h às 22h.

RUA DASHILAN
Existe um antigo ditado em Beijing que diz: 'Cabeça em Majuyan (lojas de chapéus), vestindo Badaxiang (loja de seda), pisando em Neiliansheng (loja de sapatos) e com Sidaheng no bolso (banco tradicional)'. Este ditado resume o quão tradicionais são as lojas que se encontram na rua Dashilan. E quando falamos tradicionais, estamos falando de lojas com mais de 5 séculos de tradição. É o lugar de compra preferido do nativos de Beijing. Em Dashilan encontraremos, por exemplo...
A Farmácia Tongrentang – se tem algo que os chineses levam mais a sério que o chá, é a sua saúde. A Farmácia Tongrentang foi responsável por fazer fórmulas medicinais para os imperadores! Logo, visitar esta farmácia centenária (foto) é algo que vc não pode deixar de fazer, mesmo que esteja em perfeita saúde!

A Loja de Tecidos Ruifuxiang - é a loja de tecidos (Seda, algodão e linho) mais tradicional de Beijing. Além de vender tecidos e roupas, tem serviço de alfaiataria sob medida a preços ditos ‘razoáveis’.

A Casa de Chá Zhangyiyuan – um cadinho a oeste temos a loja de chá mais famosa da cidade. Reza a lenda que aficionados por chá cruzavam a cidade de bicicleta apenas para comprar um pacotinho a iguaria. Se variedade e qualidade é o que vc procura quando o assunto é chá, este é 'O' lugar.

A Rua Dashilan está localizada ao sul da Praça da Paz Celestial [Tiananmen Square]. O acesso pode ser feito de metrô pela linha 2, descendo na estação Qianmen. As lojas ficam abertas o dia todo.

Aguarde o próximo post: INDO ÀS COMPRAS - MERCADOS
.
Fontes:
Time Out Beijing
Eye Witness Travel Guide - China [DK, 2010]

Fotos:
Beijing International - Official Website

.


12 de set de 2010

VOCÊ SABIA QUE...

Catedral+Profeta3
Catedral Metropolitana de Brasília
Foto: Soraya Lacerda

...a Catedral Metropolitana de Brasília tem em sua acústica a mesma característica do Muro do Eco do Templo do Céu?

Pois é... a CMB foi projetada por Oscar Niemeyer com uma acústica que favorece a propagação da voz dos celebrantes, sem que haja necessidade do uso de microfones. Assim a voz deles pode ser ouvida, sem esforço algum, em toda a catedral.

Faça o teste: fique junto da parede de um lado da nave e peça para um amigo ficar junto da parede, do lado oposto. Fale algo bem baixinho e veja se ele escuta. Depois, conte aqui sua impressão!

7 de set de 2010

AINDA EM BEIJING - TEMPLO DO CÉU

Hoje vamos saber um cadinho mais sobre o Templo do Céu [em pinyin Tiāntán], outro marco turístico da cidade de Beijing, que se encontra situado no parque Tiantan Gongyuan, um pouco ao sul do eixo central da cidade.

Templo do Céu
Foto daqui: Tongda Travel
O Templo do Céu era o lugar onde os Imperadores - considerados 'filhos' dos céus - veneravam o 'Paraíso' e pediam em suas orações pelo bem estar do seu reino e por colheitas fartas.

Construído em 1420 [o 18º ano do reino do Imperador Yongle, da dinastia Ming], e depois expandido e reconstruído durante o reinado do Imperador Jiajing [ainda dinastia Ming] e do Imperador Qianlong [dinastia Qing] respectivamente, o Templo do Céu é uma grandiosa obra de arte arquitetônica chinesa, sendo considerado o maior complexo arquitetônico de adoração do mundo, e por esta e outras razões, está na lista dos patrimônios mundiais da UNESCO desde 1998.

Mapa do Complexo do Templo do Céu
Mapa daqui: Kinabaloo
A parte norte de seu muro é semi-circular, enquanto que a parte sul é quadrada, fazendo assim uma referência à simbologia antiga de que o céu era redondo e a terra era quadrada. O muro duplo em torno do templo, o separa em duas partes: externa e interna, sendo que esta última acomoda a estrutura principal.


Sala de Oração Pelas Boas Colheitas
Foto daqui: MySpace de Even Castles
Uma das edificações mais iconográficas do complexo do Templo do Céu é a Sala das Orações pelas Boas Colheitas [Hall of Prayers for Good Harvests]. É uma construção circular, com 30m de diâmetro e 38m de altura, erguida sobre 28 pilares de madeira, sendo cada um deles um tronco de uma única árvore. Alías, a Sala é toda construída em madeira, sem o uso de um único prego. Os 4 pilares que contornam o círculo central representam as 4 estações do ano. Já os 12 pilares do círculo médio, representam os 12 meses do ano. Os 12 pilares do círculo externo representam as 24 horas do dia, ou 12 ShiChen [a China antiga, um ShiChen era equivalente a 2 horas, de forma que uma dia completo era dividido em 12 ShiChens]. Este edifício foi destruído por um incêndio em 1899 e posteriormente reconstruído.

Altar do Céu
Foto do Edmundo
Outra construção marcante do complexo é o Altar do Céu [Altar to Heaven]. Ele fica na área externa e se conecta à Sala da Oração pelas Boas Colheitas por uma trilha de pedras e ladrilhos. Construído em 1530, o altar é composto por três terraços circulares concêntricos, em níveis crescentes, da extremidade para o centro, rodeados por varandas de mármore branco. Cada terraço se conecta ao seguinte por um lace de escadas com 9 degraus, uma vez que os chineses consideram o número 9 um número de boa sorte. A acústica especial do lugar permite que quem fale do centro do altar, tenha sua voz projetada de forma a ser escutado por todos os presentes.

Outro point do Templo do Céu é a Abóbada Imperial do Céu [Imperial Vault of Heaven]. A abóbada é meio que uma réplica menor da Sala das Orações, rodeada pelo Muro do Eco [Echo Wall], este uma singular construção circular, de cerca de 60 metros de diâmetro. Ele foi construído de tal forma que  uma pessoa pode falar algo junto de sua parede em um ponto, e sua voz será ouvida claramente do lado oposto da construção.

Estes são apenas alguns dos destaques do  complexo do Templo do Céu, e teremos muito  mais o que explorar. Tomara que tenhamos tempo! Até mesmo porque ele é bem maior que a Cidade Proibida, com aproximadamente 2km de extensão, de norte a sul, com uma área de mais de 2 milhões de metros quadrados! O parque do Templo do  Céu durante as dinastias Ming e Qing era área de acesso exclusivo do Imperador e sua corte, sendo considerado área proibida para o povo. Hoje o parque 'ferve' o dia inteiro,  inclusive se chegarmos pela manhã cedinho teremos a oportunidade de ver práticas de Taiji, aposentados jogando xadrez chinês, e muitas outras atividades rolando por lá.
Fontes:
Edmundo e seu Picasa
Even Castles e seu MySpace
Eyewitness Travel - China [DK, 2010]

1 de set de 2010

VOCÊ SABIA QUE...

...Um dos tipos de chá mais famosos da China é o White Monkey Green Tea [Chá Verde do Macaco Branco]. O chá tem este nome devido à lenda de que monges chineses queriam colher a erva que perfumava as montanhas, mas não tinham como pois a dita crescia apenas em torno do cume destas montanhas, áreas de acesso quase impossível. Daí eles tiveram a grande idéia de treinar os macacos brancos que vivam por lá para que eles colhessem as folhas e flores em troca de comida. Hoje em dia, a referência do nome vem também da penugem prateada da folhas, que remete à pelagem dos macacos chineses.

Foto daqui: Art & Tea

Abre parentesis (...
A maioria dos sites em que pesquisei informa que as montanhas de origem do White Monkey Green Tea são as montanhas Taimu, na provincia de Fujian. Outros poucos, porém, deram como origem as montanhas Fênix [não seria a do nosso filme "Balzac e a Costureirinha"?]. Se for e por uma inclinação mais romântica, eu fico com a segunda, mesmo sendo menos provável.
Fecha parentesis ...)


Foto daqui: Art & Tea
Sua cor lembra um champagne bem claro, com sabor muito suave, delicado e levemente adocicado, característica esta que fica mais presente à medida em que ele esfria, sugerindo que uma boa opção seria saboreá-lo gelado.