16 de mar de 2011

TEMPLO SHAOLIN E CAVERNAS LONGMEN

Depois do seminário em Chenjiagou nosso grupo se divide... uma parte volta para casa e outros continuam na estrada.

Quem continuar seguirá agora em direção a Huashan, onde nos hospedaremos, para próximo dalí, em Luoguantai participarmos do curso de Meditação Taoista com o Mestre Jan Silberstorff,  no mais importante mosteiro do Taoísmo, onde Lao Tsé escreveu o Tao Te King.

Mas até chegarmos à estação de trem em Zhengzou, no caminho aproveitaremos para visitar ao Templo Shaolin e às Cavernas Longmen, tudo nas redondezas de Luoyang e Dengfeng.

Foto © Easytourchina
O Templo Shaolin foi fundado no século V por Bodhidarma [também conhecido como Batuo], um monje indiano que se refugiou por lá no ano de 527. Bodhidarma, então, desenvolveu um sistema de exercícios que evoluiu para o que hoje chamaríamos de Shaolin Quan, ou Shaolin Kung Fu, o que é considerado por muitos a origen das artes marciais chinesas. Lá assitiremos a uma demonstração deste tradicional Kung Fu.

O Templo Shaolin e sua famosa Floresta de Pagodas foram incluídos na lista de Patrimônios Mundiais da UNESCO, como parte dos "Históricos Monumentos de Dengfeng".

Foto © Easytourchina
As Grutas ou Cavernas Longmen são a maior e mais impressionante amostra de arte das Dinastias Wei e Tang (316-907). Estas obras, totalmente dedicadas ao budismo, representam o ponto alto da arte chinesa de escultura em pedra.

Foto © Easytourchina
A faces das enconstas onde se encontram as Cavernas Longmen ladeiam as duas margens do Rio Yishui, em um trecho de aproximadamente 1 km, que combina importância estratégica e grande beleza natural. Estas encostas, compostas basicamente de calcário, foram facilmente esculpidas para produzir as Cavernas Longmen.

No total, são 2.345 grutas dos dois lados do rio. Elas abrigam mais de 100 mil estátuas budistas, cerca de 2.500 estelas e inscrições, e mais de 60 pagodas budistas.

Juntamente com as Grutas de Mogao e as Grutas Yungang, as Cavernas Longmen são um dos três mais famosos sítios esculturais da China antiga, e estão na lista de Patrimônios Mundiais da UNESCO.

Passeio imperdível e de deixar qualquer um mudo, em contemplação.

FONTES:
Eye Witness Travel Guide - China [DK, 2010]
.

15 de mar de 2011

CHENJIAGOU - BEBENDO NA FONTE

É chegada a hora de irmos "beber" o Taijiquan na fonte!

Finalmente deixaremos Beijing, agora em direção a Chenjiagou, a vila que há mais de 6 séculos foi berço do Taiji.

Portal de Chenjiagou - Foto :: Urs Krebs MySpace
A cidade de Chenjiagou nasceu no século XIV. Até hoje continua com jeitinho de 'vilarejo', e o progresso parece ter passado por ela, ao largo. Foi fundada por Chen Bo, que é considerado como o representante da primeira geração da Família Chen. Ele veio da província de Shanxi, tendo passado por Hongtong, cidade renomada pela qualidade das artes marciais praticadas por seus moradores.

Chegando à província de Henan com seu clã, acabou fundando a comunidade que, na época, recebeu o nome de Chen Bo Zhuang: "A Comunidade de Chen Bo". Dois anos depois, eles se mudaram para perto da área que hoje é realmente Chenjiagou, ou o "Fosso da Família Chen", onde a agricultura era mais promissora.

Esta área, durante a guerra civil, era assolada por bandidos. Mas Chen Bo deu fim a seu reinado e assim, tanto Chen Bo, como as habilidades marciais da Família Chen - cultivadas apenas no seio do clã -, foram ganhando fama pelo condado de Wen.

Foto ::  Hyde Park Taijiquan
De lá pra cá o Taiji começa a surgir e evolui na história, principalmente depois de Chen Wangting, de geração em geração por Chen Changxing, Chen Fake, passando pela 19ª geração, representada principalmente por Chen Xiaowang, e já na 20ª geração com Chen Yingjun.


No decorrer de todos estes anos, nasceram do Taiji da família Chen vários estilos derivados, como o estilo Yang [com Yang Luchan], o estilo Wu [com Wu Yuxiang e Wu Jianquan] e o estilo Sun [com Sun Lutang].

Chenjiagou não é o único berço das artes marciais Chinesas, mas é um dos mais representativos até os dias de hoje! E é lá, que receberemos os ensinamentos do estilo Chen de Taijiquan diretamente das mãos do Grão-Mestre Chen Xiaowang.

Chenjiagou Taiji School
Em Chenjiagou treinaremos na escola da família Chen. Localizada no coração da vila, a escola foi construída em 1982. Foi a primeira escola formal de Taiji da China. É também a mais renomada e reconhecida. A entidade é dirigida pelo Grão-Mestre Chen Xiaowang e seu irmão, o Mestre Chen Xiaoxing, tendo como coordenador seu filho, Chen ZiQiang. 

Rua Principal de Chenajiagou - Foto :: Urs Krebs MySpace
E não é de se admirar que 95% da população de Chenjiagou viva e respire Taijiquan, com uma escola ao redor da qual orbita toda a comunidade. A maioria das crianças aprende Taiji em casa, e aquelas que não aprendem assim, irão com certeza aprender na escola, pois Chenjiagou é o único lugar do mundo em que o ensino da forma Lao Jia Yi Lu ["Forma Antiga" ou "Primeira Forma"] faz parte do currículo padrão do ensino fundamental.

Chenjiagou Taiji School - Dormitórios
Uma vez que ficaremos hospedados no alojamento da escola, será uma imersão mesmo! 24h de Taijiquan todos os dias! Dias estes que costumam começar cedo... e ir com atividades até por volta das 20h. Vai ser puxado, mas ainda assim não vejo a hora!

Quer emoção maior do que "beber" Taiji direto de uma fonte que jorra há mais de 500 anos?

"Chen: Living Taijiquan in the Classical Style"

By Jan Silbertorff
.

8 de mar de 2011

DICA DA HORA – FOTOGRAFE!

"Que pode a câmara fotográfica? 
Não pode nada. Conta só o que viu. 
Não pode mudar o que viu, 
não tem responsabilidade no que viu. 
A câmara, entretanto, ajuda a ver e a rever, 
a multi-ver o real nu, cru, triste, sujo. 
Desvenda, espalha, universaliza 
a imagem que ela captou e distribui. 
Obriga a sentir, a - criticamente - julgar, 
a querer bem ou a protestar, a desejar mudança." 
Carlos Drummond de Andrade

Foto ::  Sergey Kravtsov
Nenhuma viagem deve passar sem ser registrada! PONTO! Uma viagem com essa à CHINA muito menos! Afinal, foram mais de 15 meses de planejamento e preparação, sem falar do quão único, em muitos aspecto,s é o país para onde vamos. Temos que documentar tudo... fotografar tudo!

Eu, enquanto amante da fotografia, já estou delirando antecipadamente só de imaginar as fotos que poderei fazer. E me espanto ao comentar o assunto com os colegas de viagem e ouvir deles que isso é muito fácil, uma vez que a fotografia para mim é um hobby sério e uso equipamentos com um pouco mais de recursos. Mas já adianto... isso é um ledo engano!!

Algum fotógrafo famoso [acho que foi o Hansel Adams, não tenho certeza] já dizia que o que faz a foto é o olhar, e não o equipamento. Portanto, qualquer um, com uma máquina razoável, poderá fazer belas fotos durante nossa viagem, basta conhecer seu equipamento e abrir sua mente e seu 'olhar'!

Lendo o blog do foto-viajante Arnaldo Inerata [Fatos & Fotos de Viagem] achei comentários bem legais sobre o assunto e compilo trechos aqui, na esperança de que o que ele diz possa te animar a documentar ricamente sua aventura... portanto, qualquer que seja sua câmera, trate de colocá-la já na mala e bons clics!


“Viagens sempre estiveram no pensamento, no desejo e nas atitudes do homem. [...] Uma viagem pela viagem, sem registros - escritos e fotográficos - pouco vale e não leva a nenhum lugar. Nada se iguala - em dimensão e importância às viagens registradas e divulgadas.[...] Fotografar viagens pode ser tão simples ou complicado quanto maior ou menor forem o domínio e o conhecimento de nossas câmeras e das técnicas fotográficas. [... ] Para uma boa fotografia a arte conta tanto quanto a técnica e a habilidade. Mas não deixe que isso o intimide, muito menos o desanime. Afirmações como 'Eu não tenho arte, não serei um bom fotógrafo', só valem para quem deseja ser profissional. Para fazer boas fotos, basta evitar o lugar comum; é preciso não olhar com neutralidade. Só assim suas foto terão a sua personalidade. 

O primeiro inimigo da arte em fotografia é o desconhecimento. O segundo, o desejo de fazer fotos rapidamente, registrar sem cuidado, falta de perseverança e de preocupação antecipada com o resultado. [...] É necessário aprender a usar seu equipamento, seja ele uma câmera compacta ou uma reflex semi-profisisonal.

Qualquer amador principiante pode fazer fotos com qualidade bastante superior às que tem feito, independentemente de seu talento e até mesmo o de possuir aquele raro 'olhar fotográfico', tão diferenciado, que alguns fotógrafos parecem ter. [...] 


O mais importante a ter em conta ao fotografar, é:
1) Não dispare como um louco e sem pensar, só porque é uma câmera digital. Pense antes, para não se arrepender depois de fotografar;
2) Tenha paciência. Esperar pelo melhor momento e procurar o melhor lugar sempre resultará fotos melhores do que disparos intempestivos;
3) Não dispare sempre do mesmo lugar, faça as mesmas fotos de outros ângulos e com novos enquadramentos. Use o zoom e regule sua câmera de maneiras diferentes para uma mesma cena;

4) Conheça seu equipamento, leia o manual; [esta dica é minha!]
5) Use ISO e White balance corretos; 
6 ) Não use uma reflex (SRL) no automático, como se fosse uma compacta (o que equivale a ter um Boeing e usá-lo como um teco-teco);

7) Não tenha medo da câmera;
7) Deixe de usar o flash ou evite usá-lo excessivamente; e last, but not least,
9) EVITE usar o modo automático!"

FONTES:

3 de mar de 2011

DEIXANDO BEIJING - A GRANDE MURALHA

A Grande Muralha será a última atração que visitaremos antes de deixar Beijing definitivamente, rumo a Chenjiagou.

Foto :: Wikipedia

Considerada uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo, a Muralha é um point que não poderia faltar em nossa viagem. Ela começou a ser construída durante a China Imperial, por volta de 220 a.C. por determinação do imperador, Qin Shihuang. Sua construção levou séculos, com períodos de paralisação entre dinastias. Por volta do século XV, foi quando adquiriu suas atuais feições com extensão total de aproximadamente de 7.000 km, indo de Shanghai [leste], a Jiayu [oeste], passando pelas províncias de Hebei, Shanxi, Shaanxi, Gansu e pelas regiões autônomas da Mongólia e Ningxia.


Mapa :: China Highlights

Por volta do século XVI perdeu a sua função estratégica, vindo a ser totalmente abandonada. Na década de 80 o governo da China Socialista resolveu restaurá-la, mas a falta de critério e as críticas ferrenhas à forma como a coisa foi feita, não permitiram a conclusão da restauração em toda sua extensão.

Ao contrário do que muitos pensam ela não é uma estrutura única, e foi construída com características e utilizando materiais diferentes em cada um dos seus trechos. Aliás, calcula-se que todo o material utilizado em sua construção, daria para construir um muro de dois metros de altura em torno de toda a Linha do Equador.

FONTES:
.